Obesidade Infantil

Obesidade Infantil

A obesidade é uma doença crônica e multifatorial que vem crescendo entre as crianças no mundo inteiro e se expandindo de forma alarmante no Brasil.

Doenças típicas da idade adulta como, por exemplo, alterações do colesterol e dos triglicérides, hipertensão arterial e diabetes tipo 2, dores no joelho, gordura no fígado, roncos e dificuldades para respirar (Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono) podem ser consequências da obesidade e estão sendo observadas cada vez mais precocemente em crianças.

O diagnóstico de sobrepeso e obesidade é feito através do cálculo do índice de massa corpórea (IMC), que se baseia na relação entre o peso e a altura do paciente. Portanto, o IMC varia de acordo com a idade e o sexo, havendo curvas específicas para o seu acompanhamento.

A prevenção da obesidade começa desde a gestação com alguns cuidados a serem tomados como engravidar no peso adequado e priorizar uma alimentação saudável, evitando o ganho excessivo de peso. O aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade é um importante fator protetor contra obesidade e síndrome metabólica no futuro. Além disso, até os dois anos de idade não é recomendado oferecer açúcar e alimentos açucarados para crianças.

O tratamento da obesidade requer uma equipe multiprofissional e o ponto crucial é a mudança do estilo de vida. O plano terapêutico deve ser individualizado e baseia-se em hábitos alimentares saudáveis associados a atividade física diária de acordo com a faixa etária. Quanto mais precocemente for iniciado o tratamento, melhores e mais eficazes serão os resultados. Existem casos que podem exigir uso de medicação, mas essa não é a regra.

Para concluir, vale lembrar que o apoio da família e assiduidade nas consultas é imprescindível para o sucesso do tratamento.